quinta-feira, Abril 10, 2014

Trabalhos de alunos sobre a Festa em exposição em Valongo

Em resultado dos trabalhos realizados por alunos das escolas do Agrupamento de Valongo, que envolve também as instituições educativas de Sobrado, está patente até dia 21 deste mês, no Museu Municipal e Arquivo Histórico de Valongo, uma exposição alusiva à Festa de S. João de Sobrado. O horário, nos dias úteis, é o seguinte: das 9 às 13 e das 14 às 18 horas.

sábado, Abril 05, 2014

E agora, o que fazer?

JN online, 3 abril 2014
A notícia apareceu nestes dias em vários meios de comunicação social, mas foi dada na quarta-feira, numa reunião realizada na Casa do Bugio: a Câmara de Valongo diz que a candidatura da Bugiada e Mouriscada a património da UNESCO apenas avançará em 2015. Porquê? Porque, segundo a mesma entidade, este ano, a Comissão Nacional da UNESCO terá dado prioridade a candidaturas de património imaterial em risco, o que obviamente não se verifica com a festa de Sobrado.
Esta notícia surgiu depois de o presidente da Câmara ter anunciado aos quatro ventos que a candidatura iria ser antecipada relativamente ao prazo oficial e culminou um período que primou pela ausência de informação. Estes factos não podiam deixar a Casa do Bugio e muitos sobradenses algo frustrados, porque não lhes tinha sido dito que havia estas dificuldades e constrangimentos.
Ao contrário do que estão a dizer alguns meios de comunicação social, não é à Câmara que compete decidir se a candidatura vai ser apresentada amanhã, daqui a seis meses ou daqui a dois anos. Essa decisão compete ao consórcio, digamos assim, que se constituiu para avançar com este processo. As decisões sobre a candidatura, por muito acertadas e razoáveis que se apresentem, nunca poderiam ser tomadas apenas por uma das partes, antes devem ser presentes ao consórcio e tomadas em conjunto.
Na reunião da passada quarta-feira, perante a direção da Casa do Bugio e vários vereadores de diferentes partidos, o presidente José Manuel Ribeiro comprometeu-se a manter doravante todas as partes devidamente informadas. E foi marcada uma nova reunião para o princípio de Maio.
Entendo que, nessa reunião, devem ser tomadas algumas decisões importantes, para assegurar uma melhoria do funcionamento do processo de candidatura.
Salvaguardando que aquilo que exprimo a seguir apenas me compromete a mim, deixo aqui algumas ideias e sugestões para serem consideradas oportunamente.
Em primeiro lugar, se ao nível do Município se pretende consagrar a Bugiada como uma prioridade, não apenas por causa da candidatura, mas para fazer dela verdadeiramente um bem patrimonial concelhio, deve-se encontrar formas de envolver ativamente todas as entidades e setores que possam concorrer para a valorização da festa - estruturas e associações culturais, entidades políticas, empresas e associações empresariais, as instituições educativas e os diferentes agrupamentos de escolas, as igrejas, movimentos de jovens, etc.
É fundamental apostar em que todos os munícipes - a começar pelos mais jovens - conheçam a Festa de S. João de Sobrado e as outras tradições relevantes do património cultural do concelho. Isso poderá ser conseguido através da criação de um programa multidisciplinar que envolva de forma direta e ativa nomeadamente os diferentes serviços relevantes do Município - educação, cultura, juventude, turismo...
Num plano mais operacional, julgo ser vantajoso que a candidatura passe a ser conduzida por uma Comissão Executiva constituída pelas entidades diretamente envolvidas no processo, com objetivos e metas previamente definidos, com reuniões regulares e um calendário de actividades rigorosamente estabelecido. O Dr. Paulo Lima, que é um perito cujo trabalho é imprescindível, deverá articular a sua atividade com esta Comissão Executiva.
Para dar expressão e visibilidade ao envolvimento das instituições do âmbito do Município, a que me referi atrás, proponho que seja criado um Conselho da candidatura, com o papel de acompanhar de perto, dar sugestões, divulgar e, eventualmente, promover iniciativas e de articular esforços.
Parece-me igualmente fazer sentido a criação de uma Comissão de Honra e de uma Comissão Científica da Candidatura da Bugiada e Mouriscada a património da UNESCO. A primeira reuniria personalidades de distintos setores locais, regionais e nacionais e de prestígio. A segunda seria constituída por académicos, cientistas sociais e estudiosos da festa e do património, os quais teriam o papel de acompanhar, aconselhar e apoiar os passos da candidatura.
Dito isto, julgo ser necessário evitar a todo o custo que este processo de candidatura se converta em bandeira de luta política. O que se tem passado até agora revela que esta preocupação é partilhada pelas forças políticas representadas nos órgãos municipais. Isto exige que a informação circule e que todos se sintam empenhados em promover a Festa e, por essa via, a valorizar o património do Concelho.
Por fim, entendo que estes percalços e dificuldades, não de todo inesperados, podem constituir uma excelente oportunidade para melhorar as formas de comunicação e de coordenação entre todas as partes e para reforçar e dar outro horizonte à candidatura em que todos estamos apostados.


quinta-feira, Abril 03, 2014

Escolas de Valongo e Sobrado tomam a Bugiada como tema de um intenso programa de atividades

Decorre hoje à noite, no Auditório António Macedo, em Valongo, um debate sobre o tema "Bugios e
Mourisqueiros, promovido pelo Agrupamento de Escolas de Valongo, que envolve também as instituições de educação e ensino de Sobrado.
Esta iniciativa, que contará com a participação do Reimoeiro e do Velho da Bugiada e da Juiza da Festa de 2012, além do autor deste blog, inscreve-se numa semana aberta que tem precisamente a Festa de S. João de Sobrado como temática central.
As atividades de um programa diversificado e intenso da semana aberta passam nomeadamente por exposições, colóquios, workshops, concursos, espetáculos e atividades ao ar livre.


segunda-feira, Março 03, 2014

Queima do Velho, neste Carnaval

A Comissão da Festa de São João de Sobrado 2014, em parceria com a Junta de Freguesia de Campo- Sobrado, organiza amanhã, dia de Carnaval, ao fim do dia, no Largo do Passal, a Queima do Velho,
A organização desta antiga tradição carnavalesca tem sido, nos últimos anos, promovida pelas Comissões de Festas de São João de Sobrado, como forma de preservar a tradição na freguesia. No "velho" e na fogueira está simbolizado o desfazer-se de tudo aquilo que é um peso ou um obstáculo ou uma inutilidade na vida das pessoas e das comunidades, que não contradiz, antes convive, com aquilo que do passado se herda para viver o futuro.
No local, além de comes e bebes, haverá ainda um concurso de máscaras de entrajadas, as melhores e mais criativas das quais serão premiadas. Todos os sobradenses e outros interessados estão convidados a participar.

segunda-feira, Janeiro 13, 2014

quinta-feira, Janeiro 09, 2014

Sarrabulhada: convívio, gastronomia e festa

No seguimento de outras iniciativas já tomadas, a Comissão de Festas de 2014  convida todos os sobradenses e outros interessados para jantarem juntos, numa sarrabulhada que tem lugar na Casa do Bugio neste sábado, às 20h.
Através da gastronomia própria da época e do convívio, participa-se, deste modo, numa iniciativa que visa angariar fundos para as despesas da festa, aquilo a que se chama hoje crowdfunding, e que, em Sobrado e muitas outras terras, já se pratica há muitos anos.


domingo, Dezembro 08, 2013

Assembleia Geral Extraordinária da Casa do Bugio


Os associados da Casa do Bugio estão convidados para uma Assembleia Geral Extraordinária a realizar na próxima quarta-feira, dia 11, às 21 horas, de acordo com uma convocatória assinada pelo Presidente da Assembleia Geral.
A reunião, convocada ao abrigo do nº4 do artigo 13º dos Estatutos, tem como ponto único na ordem de trabalhos o seguinte: "Esclarecimentos diversos aos associados por parte da Direção da Associação e discussão de outros assuntos de interesse para a mesma".
Esta Assembleia, que terá lugar na Casa do Bugio, foi requerida por um grupo de 20 associados, não tendo sido tornados públicos os motivos do requerimento.

terça-feira, Julho 23, 2013

quinta-feira, Julho 04, 2013

Conversas sobre a festa - convite


O Centro Cultural de Sobrado acolhe neste sábado, às 21h30, a primeira edição de "Conversas de Sobrado", relacionadas com a festa e com a candidatura a património cultural imaterial. Os anfitriões serão o Dr. Paulo Lima (antropólogo e coordenador do processo de candidatura), David Mira (realizador) e Augusto Brázio (fotógrafo).
No essencial, este espaço de encontro servirá para a apresentação de imagens da festa ou com ela relacionadas, tendo como objetivo a promoção do diálogo com os detentores do 'bem' cultural que é a Festa da Bugiada e da Mouriscada, ou seja, com a população de Sobrado. A entrada é livre.

domingo, Junho 23, 2013

Quais os momentos mais importantes da festa?

Sobretudo para os visitantes que não puderem estar todo o dia em Sobrado pode surgir a pergunta: se eu só puder estar de manhã ou só de tarde, o que vale a pena ver?

A resposta é simples: de manhã, o que vale a pena ver são as Danças de Entrada, que deverão ter início pouco depois do meio dia, no zona central de Sobrado (perguntar pela capela das Alminhas). Se puder ir um pouco antes, verá os Mouros na procissão, de cabeça descoberta, a pegar aos andores dos santos e, em particular, no de S. João.
Se se dispuser a chegar a Sobrado pelas 9h30, o conselho é que vá diretamente para a Casa do Bugio, que fica fora da povoação, na estrada que liga Sobrado a Alfena (junto à Escola Profissional de Valongo - acesso fácil via A41). Aí têm lugar as danças de mouros e cristãos (ainda que nunca se misturem), assim como o 'jantar' servido a todos os participantes envolvidos nas danças. É ocasião de tomar também contacto com as 'estardalhadas' ou cenas de crítica social.
Se for apenas de tarde, o ponto mais alto é a prisão do velho, no Passal. Ocorre nos castelos aí construídos. Envolve as embaixadas, as disputas dos advogados, os tiros de 'canhão', a prisão e a intervenção libertadora da Serpe. Este clímax da festa ocorre já ao fim da tarde perto das 19h30. Mas antes disso, logo a partir das 15h00, ocorre na zona do Passal a cobrança dos Direitos, o ritual da Sementeira e a Dança do Cego. O trajeto seguido por estas manifestações é o seguinte: Saída de uma casa situada a meio da Rua José Araújo; contorno da rotunda na estrada principal; descida do Largo do Passal pelo lado sul, até junto à igreja paroquial e regresso ao ponto de partida pela rua a meio do Passal, sob os plátanos.
No fim da Prisão do Velho, já ao escurecer, há ainda a Dança do Santo, junto à igreja e a transmissão do testemunho à próxima comissão de festas, no adro.

Sobre a recolha de imagens na festa


As normas que foram definidas no ano passado relativas à recolha de imagens na festa visam acima de tudo dois objetivos: evitar a perturbação dos movimentos dos Bugios e Mourisqueiros, em particular nas Danças de Entrada; e promover imagens que não tenham no interior das danças pessoas estranhas a estas manifestações.
Portanto, ao contrário da interpretação de alguns, de que se pretende impedir de fotografar ou gravar a festa, pretende-se, isso sim, contribuir para a qualidade das imagens que cada um pretende obter.
Basta ver fotos das danças de entrada dos últimos anos: é quase impossível conseguir planos gerais sem estranhos dentro do espaço dos Mourisqueiros ou dos Bugios.
Cabe aos líderes de uma e outra formação impedir que o seu espaço seja ocupado por quem lá não deve estar. Mas cabe também a todos nós colaborar nessa tarefa.
Este ano teremos equipas externas a gravar registos para instruir o dossiê da candidatura da Bugiada e Mouriscada a património imaterial. Um esforço suplementar de todos para que consigam boas imagens é essencial.

sexta-feira, Junho 21, 2013

Festa da vida e da paixão


A Festa da Bugiada e Mouriscada de Sobrado é como que a outra face do S. João do Porto, mas mais discreta e deslumbrante. Ambas partilham do encontro, da folia, da subversão próprias dos antigos ritos solsticiais; ambas são festas de celebração e refundação da identidade colectiva na rua. O S. João é, no Porto, uma festa nocturna e, em Sobrado, uma festa diurna. E talvez seja por causa do S. João do Porto que muitos forasteiros, interessados em conhecer a Bugiada, se tenham ficado pela cidade, na ressaca da noitada, adiando, assim, para outra vez a deslocação a Sobrado.
Quem vá a Sobrado sedento de exotismo ou à procura de vestígios de um mundo perdido é possível que os encontre. A máscara e a serpe, os guizos e as castanholas, os penachos e as barretinas, as danças e o combate, as músicas e os ritmos do tambor, a cor e a algazarra proporcionam esse mergulho num tempo fora do tempo. É o que se pode chamar um espetáculo completo, suprema colheita para os amantes da fotografia e do vídeo. E, no entanto …
Para a comunidade local, a festa é muito mais do que um espetáculo ou uma reconstituição histórica. É, acima de tudo, o assumir de uma tradição, reinterpretada nas exatas e precisas condições da existência do hoje, local e global. Numa terra que se transfigurou nos últimos 60 anos, por efeito do trabalho industrial, da emigração e da rede viária, esta vila passou a respirar em sintonia com o resto do Município e com a área metropolitana do Porto. Mas os sobradenses souberam encontrar nos novos modos e estilos de vida os pontos de ligação com a sua festa de S. João. Reinterpretaram-na e fizeram-na significativa para a sua vida e para as relações entre eles. Assim, a festa não se tornou um mono, mas antes a festa da vida e da paixão.
Os passos que têm sido dados no sentido do reconhecimento do seu interesse municipal (já concretizado), nacional e internacional (em vias de concretização) são naturalmente motivo de satisfação. Mas representam também um desafio: abertura à promoção de um turismo cultural de qualidade, articulado com outras ofertas na região, sem deixar que sejam pressões externas a condicionar as características, tempos e modos de fazer a festa. Isso é com os sobradenses. Outro caminho acabaria por pôr em causa aquilo que agora mesmo está a ser objeto de reconhecimento e, em última análise, por ameaçar a própria festa. Em suma, uma festa aberta mas sem perder a alma.

[Texto que me foi solicitado para publicação no Semanário Grande Porto, num destaque dedicado à Festa de S. João de Sobrado e previsto para hoje]

quinta-feira, Junho 20, 2013

Transporte gratuito para acesso à festa no dia de S. João

A exemplo de anos anteriores, vai funcionar no dia de S. João um transporte gratuito para as pessoas que queiram ir participar na Festa da Bugiada e Mouriscada de Sobrado e não se queiram meter na (e aumentar a) confusão do trânsito na vila. Funciona entre dois pontos extremos de Sobrado: Pinguela, a Sul, para quem vem do lado de Valongo ou A4, e Balsa, do lado Norte, na estrada que vem de Lordelo e Paços de Ferreira ou da A41. De cada um dos lados há também parques de estacionamento automóvel, devidamente sinalizados, onde as pessoas de fora podem deixar os seus veículos e podem chegar ao espaço da festa de forma mais cómoda utilizando os referidos transportes públicos. 
A iniciativa cabe à Junta de Freguesia local e à Câmara Municipal. Segundo o Presidente da Junta, Carlos Mota, este serviço, que funcionará entre as 10h30 e as 13 e entre as 15 e as 22, nos dois sentidos, visa aliviar a pressão automóvel quer de visitantes de fora quer da vila, fazendo com que a participação na festa se faça com maior comodidade.
Recorde-se que a Freguesia de Sobrado, que se estende ao longo de um extenso vale banhado pelo rio Ferreira, tem mais de 7km de comprimento por estrada.


quarta-feira, Junho 19, 2013

S. João, o Batista e Precursor

São João, que se celebra anualmente a 24 de junho, foi o primeiro anunciador e apontador de Jesus Cristo, um santo com características especiais porque dá testemunho da luz e da verdade, refere o biblista Armindo Vaz. Para o padre e professor universitário, a figura de São João conjuga austeridade, humildade e alegria e é extremamente importante “não por si e nem por si”, mas por aquilo que “ele anuncia e indica”, revela à ECCLESIA.
A Igreja Católica, acrescenta, dá-lhe “grande relevo” e é o “único santo, para além de Jesus, que tem vigília”, sublinha o religioso carmelita.
A Igreja percebe a “centralidade da figura de João Batista na história da salvação” porque ele “aparece como o último elo do AT [Antigo Testamento] que aponta para o novo”, prossegue.
Ao elevar São João à categoria de santo popular, o biblista Armindo Vaz realça que a festividade deste santo “leva a celebrar com alegria a vida humana”, uma nota que brota dos “textos bíblicos”.
Numa intervenção dedicada a este santo, em 2012, o Papa emérito Bento XVI destacou a figura de São João Batista, elogiando a “grande humildade e ardor profético” do precursor de Jesus, e lembrou que este é o único caso, à exceção da Virgem Maria, em que o calendário litúrgico católico festeja o nascimento de um santo.
“Fá-lo porque este nascimento esta estreitamente ligado ao mistério da incarnação do Filho de Deus”, justificou.
Bento XVI disse que os quatro Evangelhos “dão grande relevo à figura de João Batista, como profeta que encerra o Antigo Testamento e inaugura o novo, indicando em Jesus de Nazaré o Messias”.
São João, acrescentou, batizava no Rio Jordão, “chamando as pessoas a prepararem-se, como esse gesto de penitência, para a vinda iminente do Messias que Deus lhe tinha revelado durante a sua permanência no deserto da Judeia”.
Neste local, frisou o Papa, foi chamado “batizador” e ali receberia o próprio Jesus Cristo. “A sua missão não estava ainda cumprida: pouco tempo depois, foi-lhe pedido que precedesse Jesus também na morte violenta”, referiu Bento XVI, ao evocar a prisão e decapitação de São João, ordenadas pelo rei Herodes.
Fonte: Semanário Ecclesia, 13.06.2013

segunda-feira, Junho 17, 2013

ARRE na Bugiada

A equipa artística da nova criação
da companhia teatral portuense Rei Sem Roupa, intitulada "ARRE - Peça para dois burros e dois actores", passará o próximo dia 24 de Junho em Sobrado estudando a Bugiada. A peça em criação, como o subtítulo indica, terá em cena dois actores humanos e dois asininos - tratando-se de uma co-produção com a AEPGA - Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino (Atenor, Terra de Miranda do Douro).
Na festa de Sobrado, estaremos particularmente atentos às seguintes dimensões: a transformação da ordem instituída de uma comunidade, a crítica social, o uso do grotesco, da licenciosidade, do risco e de personagens aparentadas ao Bufão. O nosso objectivo é inspirar-nos as razões que mantêm estas expressões e encenações tão vivas e necessárias para a comunidade de Sobrado.

Eis uma descrição mais pormenorizada do projecto:
"ARRE: Peça para dois burros e dois actores é uma exploração teatral de pendor cómico que cruza, num espectáculo de rua, três pontos de partida: o Burro de Miranda, uma pesquisa sobre a linguagem teatral do Bufão e um imaginário inspirado na obra “D. Quixote de la Mancha”. A questão da idiossincrasia, como resistência à ordem (social, de poder, cultural, estética e mesmo moral) é o ponto unificador desta tríade."

Pedro Fabião
(Diretor artístico, encenador e ator, com raízes em Sobrado)