terça-feira, dezembro 26, 2006

A Mourisca também em Trás-os-Montes

Do ponto de vista do estudo das festas tradicionais, não parece abusivo estabelecer um paralelo entre as festas solsticiais de Verão e as de Inverno. O dia de hoje - 26, de Santo Estêvão, o jovem que, segundo a lenda, foi o primeiro mártir do cristianismo - é um dia maior deste ciclo de Inverno, especialmente com as Festas de Rapazes, em Trás-os-Montes (Cf. uma lista aqui).
Uma das localidades em que tive já oportunidade de participar foi na Torre de Dona Chama e a sua Festa dos Caretos. É um caso interessante porque nela tem lugar, entre várias outras manifestações, o "Correr da Mourisca".
Esta tradição é assim descrita no site "Torre de Dona Chama":

"As «Mouriscas» e os «Caçadores», os reis «Mouros» e os «Cristãos», já estiveram presentes na missa de Santo Estevão. As «Mouriscas» usam por cima da roupa um lenço ou fita vermelhos traçados sobre o peito e na cabeça um lenço apertado em jeito de turbante.Ainda há poucos anos era um papel só reservado aos rapazes. Hoje também raparigas o desempenham. Os caçadores não usam roupa especial, mas sim uma caçadeira.Os reis têm roupagem própria: o «Mouro» manto vermelho, coroa e um pau ou espeto de ferro com uma laranja espetada na ponta; o «Cristão» um manto branco, coroa e pau espeto de ferro com uma maçã espetada na ponta. O objectivo das diversas acções é que a «Mourisca»arda; que mais uma vez os caçadores «Cristãos» vençam e que a tradição se mantenha e passe de geração em geração...Já ao anoitecer do dia 26 de Dezembro, os caçadores em grupos de dois ou três dão a volta ao povo e com um tiro junto de cada portal afugentam alguma «Mourisca» que tenha ficado escondida."

5 comentários:

Anónimo disse...

continuo a ler o blog. continua a ser interessante. continuo sem perceber o porquê da inibição dos comentários... na altura, que entendi por certa, perguntei a(s) razão(ões). continuo sem saber a resposta...

bom 2007!

Anónimo disse...

caro anonimo não se espante! Também eu sou uma leitora assidua deste blog e só agora me apercebi que aqui só se mostra o que se convem... Porque as verdades, essas são inconvenientes, não é verdade sr.Manuel Pinto?

Manuel Pinto disse...

Este segundo anónimo é mais lesto a apontar o dedo do que a dar a cara. Mas, ainda assim, gostava de o esclarecer acerca do seguinte: no momento em que os comentários foram cancelados, tal ficou a dever-se a um problema relacionado com a entidade prestadora do serviço e não com o responsável do blogue. É um facto que algumas intervenções estavam a enveredar pela insinuação e pelo ataque pessoal. Daí ter sido decidido passar a moderar os comentários. Nessa operação, por motivos que o Blogger tardou em resolver, o sistema de comentários ficou inoperacional. Não houve nem há, por conseguinte, questões de conveniência. Houve e haverá, da nossa parte, procura de dignidade num espaço que pretende dar a conhecer aspectos relacionados com a Festa de S. João de Sobrado. Se (e quem) pretender colaborar nessa tarefa será, certamente bem-vindo.

Barbara Alge disse...

Alge, Barbara, 2006, "Comemorar o passado ou o "mouro" no presente? - A Festa dos Caretos em Torre de Dona Chama (Mirandela)", Revista Brigantia em homenagem a Belarmino Afonso, Vol. XXVI, nº 1-4, Bragança, p. 289-306

25 de Janeiro de 2007: colóquio de etnomusicologia na Universidade Nova de Lisboa por Barbara Alge sobre: "Incorporação do mouro - Uma análise etnocoreológica de duas performances mourisca de Portugal".

ps. estimado manuel pinto, de que ano é este cartaz da semana dos caretos?

Manuel Pinto disse...

Cara Bárbara Alge, obrigado pela referência e pela informação. A matéria que o título sugere interessa-me bastante e gostava de conhecer o texto.
Quanto à imagem do cartaz, encontrei-a aqui:
http://pwp.netcabo.pt/torredonachama/English/frames.html
Poderá contactar o autor do site aqui:
info.torredonachama@gmail.com