sábado, junho 28, 2008

Ecos da festa de 2008 (2)

Aspectos em que se poderia melhorar em próximas edições da festa:

1. Cuidar de uma boa recepção e serviço no 'jantar', especialmente aos Bugios: a quantidade e a sede com que chegam exige um batalhão de pessoas disponíveis para servir à mesa.

2. Não faço ideia se a festa deste ano vai dar lucro ou prejuízo, mas se é verdade o que veio no «Alô Sobrado» de Maio, de que o orçamento da festa de 2008 se situava nos cem mil euros, acho exagerado, particularmente em tempos de crise. Sei bem que há pessoas para quem a falta de pelo menos um bom grupo musical nas noitadas significa que a festa não prestou. Mas, mesmo assim...

3. Um facto que começa a tornar-se uma praga é o número de 'repórteres' com câmaras de filmar e máquinas fotográficas que se intrometem no meio das danças dos Bugios e, sobretudo, dos Mourisqueiros. Particularmente na Dança de Entrada, chega a ser caricato, porque parece a dança dos repórteres rodeados de Mourisqueiros. Contra mim falo (porque também lá tenho andado), mas talvez se tenha de criar algumas regras para não se pôr em causa a beleza das danças.

4. Na mesma linha, viu-se este ano o Reimoeiro a fazer continência, na Dança de Entrada, para entidades que não são os seus pares Mourisqueiros. Julgo que nem o Reimoeiro nem o Velho devem fazer continência a ninguém que não seja da Mouriscada ou da Bugiada. Da mesma forma, não faz parte do espírito desta festa bater palmas. Mas a verdade é que, num ou noutro momento, elas surgiram.

5. Finalmente, talvez seja de se pensar em editar um folheto ou um desdobrável com uma informação resumida sobre a festa. Muitas pessoas de fora e mesmo de Sobrado, acham o máximo o colorido e as danças, mas não chegam a perceber aquilo de que trata a festa.

8 comentários:

Pedro Vale disse...

A homenagem ao Fernando Caínha por parte dos Mourisqueiros tem sido constantes, desde as mais simples ás como esta que não foi a primeira vez a outras que se podem observar no próprio jazigo.

TsiWari disse...

Acho que se devia agarrar essa ideia 5, muito a sério...

Anónimo disse...

Apenas irei falar do ponto em que fala da dança de entrada, penso k tem toda razão, mas actualmente o São João tambem é uma festa que é cada vez mais divulgada e cada vez há mais pessoas a ganhar dibheiro com a festa, por isso todos querem as melhores fotos e melhores imagens.
Aproveito o comentário para deixar mais um apontamento aos mourisqueiros, penso k não devem continuar a dar cotoveladas e a empurrar as pessoas k assistem, apaixonadamente, a "Dança de Entrada", porque acho que todos devemos cativar as pessoas para aparecer á festa e não é afastar o publico com atitudes que por vezes são agressivas e mesmo violentas.
Segundo me disseram os mourisqueiros querem espaço para dançar, mas têm de entender que o espaço para ver também não é muito e se não houver publico a festa perde sentido....
Votos de melhoras no comportamento dos mourisqueiros.

maria disse...

Eles dão cotoveladas porque pura e simplesmente não têm espaço para dançar e as pessoas não têm espaço para ver.

E porquê?

Porque continuamos na miséria de sempre e não há quem deite a mão à chuva de sapateiros, fartureiros e mais sei lá o quê, que infestam o pouco espaço existente para as pessoas verem alguma coisa e mesmo assim com dificuldade.

Anónimo disse...

pk a chuva de sapatos, as personagens cheias de lama e bosta de animais, fazem parte da história e sempre se fez assim enquanto as agressões começaram á meia duzia de anos, algum eliminado com a mania de rambo se lembrou k assim seria melhor, o Filipe (rei mouro deste ano) já um ano no fim da festa foi agredido por causa de uma cotovelada numa idosa, pode ser k nos proximos anos outros sejam também.... bjs e abraços

ANA BARBOSA disse...

NASCI EM SOBRADO MAS POR FORÇA DO DESTINO AOS 13 ANOS VIM PARA VALONGO. ESTA FESTA DIZ-ME MUITO, FAZ PARTE DAS MINHAS RAIZES QUE ME TORNARAM NA MULHER K SOU HOJE. APENAS QUERO ENVIAR UM BEIJINHO AO DOMINGOS CUCO ( SOU FILHA DO MIGUEL - CHURRASQUEIRA MIGUELITO ) E TAMBEM DEIXAR UM BEIJINHO AO FILIPE K FOI MEU COLEGA DE ESCOLA NA PRIMARIA. FICA AKI EXPRESSA A MINHA ADMIRAÇÃO PELA TUA FORÇA E HUMILDADE. BEM HAJAM.. SOBRAD PARA SEMPRE

maria disse...

Não devemos estar a falar da mesma história, com certeza. Tem que haver espaço para tudo: Bugios e mourisqueiros têm que ter espaço para dançar/saltar, as pessoas têm que ter espaço para assitirem e os comerciantes têm que ser postos nos seus devidos lugares e o que graças a Deus não falta nesta festa é espaço.

"Elimado" é giro

Marco disse...

Concordo que o Reimoeiro prestou um fraco serviço à tradição e a si próprio quando se vergou ante a Comissão de Festas; a Comissão de Festas respondeu na mesma moeda - aplaudiu efusivamente, à semelhança do que fez noutras ocasiões, durante a Dança de Entrada. A dada altura, parecia que se queria retirar o protagonismo a quem ele é devido. Honra seja feita, contudo: nem todos os membros da Comissão tiveram a mesma atitude.